martes, 31 de marzo de 2015

Kryon/Lee Carroll. "Cargando los Dados". Australia. Marzo 14, 2015

- Doblado al español -

Canalización en vivo - Lee Carroll
"Cargando los dados"

Sydney, Australia.
Sábado 14 de Marzo 2015

Traducción: Leonor Botero
y María Cristina Cáffaro
TraduccionesParaElCamino.blogspot.com.ar

Copyright: Lee Carroll. Kryon.com
http://www.kryonespanol.com/








DESCARGAR / ESCUCHAR Audios MP3 (En Español):
- Mini canalización (No traducida) English:
http://audio.kryon.com/en/Sydney-mini-15.mp3
- "Cargando los dados" Canalización Principal:
http://files.kryonespanol.com/audio/Cargando_los_Dados_Sydney_Australia_14_Marzo_2015.mp3




DESCARGAR Textos (En Español):
- Mini canalización: 
No disponible aún
"El Clima" Canalización Principal:
No disponible aún


VER VIDEOS en YouTube (En Español):
"Cargando los Dados" Canalización Principal:
https://youtu.be/tcT6N1pE66w


Download (English):
http://www.kryon.com/cartprodimages/2015%20downloads/download_sydney_15.html

miércoles, 25 de marzo de 2015

P&R: "¿Cómo podemos saber si alguien ha tomado el Taller de Energías Sexuales?"

Preguntas y Respuestas: "Escuela de Energías Sexuales de Tobías (SES)

Pregunta de Leslie Harris: ¿Cómo pueden saber si alguien ha tomado SES? (Pregunta surgida en un grupo fb).

Respuesta de Geoff: SES es una de las clases básicas del Círculo Carmesí. Desde 2007 ha sido impartida en todo el mundo por Linda y yo, así como cientos de maestros certificados. Es, por mucho, el taller (Escuela) más popular del CC. Canalizado por Tobias, SES enseña a la gente acerca de un virus de la conciencia que viene como resultado de los desequilibrios, sobre todo el desequilibrio entre la energía masculina-femenina. Los estudiantes aprenden sobre la dinámica de la víctima-abusador, y en última instancia acerca de cómo otros se alimentan de su energía, o la forma en que se alimentan ellos de otros. A veces nos referimos a ella como el efecto vampiro original.

Cuando Linda y yo estamos haciendo talleres, generalmente somos conscientes de quiénes han tomado el SES y quiénes no. 
Algunos signos son sutiles, por ejemplo, cómo una persona interactúa con los demás, y si están envueltos en la conciencia de víctima herida. No hacemos juicios al respecto, pero nos damos cuenta de ello. Otras veces no es tan sutil. La persona deliberadamente buscar atención, incluso si esto significa actuar de manera desequilibrada. 

Los signos son: Interrumpir, agarrando a uno por el brazo para retenerlos mientras se habla, contando historias largas y de distracción, siempre llegar tarde a las clases, y en general una gran necesidad de atención a expensas del resto del grupo. 
No sucede muy a menudo, pero a veces el estudiante actúa en la clase con un alto grado de drama. Sus vidas son como un accidente de tren emocional, pero incluso cuando las cosas se calman crean nuevo drama porque así es como se alimentan energéticamente.

El SES enseña al estudiante que todo lo que necesitan está adentro; que no necesitan robar energía de otras personas. También enseña al estudiante que EL AMOR A SÍ MISMOS es el mayor regalo que se pueden dar a ellos mismos, así como a otras personas en sus vidas. Puede ser realizado a través de la práctica sagrada de ALIYAH. 
De acuerdo a Tobías, Aliyah significa AMOR AL SÍ MISMO, una bendición de amor interior. Aliyah se remonta a los tiempos de la Atlántida, y por medio de la escuela SES Tobias lo ha traído de vuelta a los tiempos actuales.

En términos generales, puedo decir si alguien ha tomado o no el SES por la forma en que llevan y administran su energía, así como puedo decir si alguien ha estado en servicio militar o policial, si alguien es un ingeniero, si son un artista o músico, etc. En términos generales, los graduados de SES no quedan atrapados en el drama, como aquí en Facebook o en otras áreas de la vida porque se dan cuenta de qué es la alimentación de energía, y no tienen ninguna necesidad o deseo de ella.
Gracias por preguntar ... Geoff



(Créditos: diseño de Daniela Eichberger)




jueves, 19 de marzo de 2015

(Portugues). "Alma Café Com Kuthumi" - (Marisa Calvi)

Apresentando Kuthumi Lal Singh canalizado por Marisa Calvi

Assistida por Joep Claessens



Transmitido via BlogTalk Radio a 30 de Janeiro de 2015 

Ouça o áudio completo em 

Marisa e Kuthumi apreciam que esta canalização seja traduzida e compartilhada, contanto que não haja qualquer cobrança de taxa ou dinheiro envolvida e sejam dados os créditos devidos à fonte. 

©Marisa Calvi 2015

Alma Café com Kuthumi – 30 de Janeiro de 2015
Apresentando KUTHUMI LAL SINGH, canalizado por Marisa Calvi

MARISA: Bem, olá prá você, onde quer que esteja no mundo. Meu nome é Marisa Calvi. Estou em Sydney, Austrália no primeiro episódio de rádio do Alma Café! Se você me acompanhou durante nosso tempo na Awakening Zone, obrigada por nos encontrar de novo. Se você nos encontrou pela primeira vez através do BlogTalk Radio,umas boas-vindas especiais para você também. Estamos aqui para cerca de uma hora divertida de conversa iluminada, criação consciente e com sorte algumas risadas ao longo do caminho.
         
O Mestre Ascenso Kuthumi lal Singh está aqui. Ele está fermentando algum café e chai. Ele também se reunirá a nós muito em breve com sua sabedoria e clareza, para nos guiar às nossas próprias sabedoria e clareza. Eu assei alguns maravilhosos bolos e doces e os tenho todos fatiados, prontos para serem servidos. Reunindo-se a nós dois está Joep Claessens dos EUA. Joep está aqui para assegurar que todos vocês encontrem um assento à mesa e para assegurar que Kuthumi e eu sigamos corretamente suas ordens. E comecemos com um belo e agradável serviço à nossa conexão de alma.

Então tome uma respiração profunda comigo agora para fazer com que o Alma Café aconteça. Tome uma respiração profunda e imagine-se caminhando num belo espaço seguro. É o lugar para dar uma parada e tomar uma respiração profunda, para sentir sua conexão de alma e sua infinita sabedoria, amor e compaixão por você. Este é o lugar para abrir seus sentidos, para se conectar com a vida e a alegria que ela tem para oferecer.

Respire fundo comigo agora, Uma bela respiração profunda. Respire e deixe esta bela expansão com sua alma se ampliar. Convide-a mais e mais. Convide seu amor e compaixão para ser uma parte íntima de sua vida, bem aqui, justo agora.

Respire e permita que ela entre. Permita mais de você. Permita mais da experiência, como você o escolheu que seja.

Então, espero que todos já tenham tomado seus lugares. Todos se serviram deste bolo adorável e de café ou chai ou chocolate quente ou seu simpático ‘frappé’. Estamos todos sentados. Todos criamos o espaço juntos.

Então, com isso, vou dar as boas-vindas ao meu fabuloso coanfitrião, Joep Claessens, por todo o caminho até o Colorado, nos EUA. Bom dia, oh, boa tarde, boa noite, Joep. Como vai você?

JOEP: (rindo) Bom dia, Marisa. Eu vou muito bem e é um prazer estar em seu programa de novo.

MARISA: Muito obrigada. Joep era o coanfitrião e coordenador no tempo da Awakening Zone, assim que é um absoluto prazer e estamos muito felizes que ele tenha escolhido continuar conosco, porque tivemos algumas grandes experiências juntos.

JOEP: Grandes. Sim.



Então, apenas tome a primeira respiração profunda… traga sua energia de volta a você, ao seu corpo. Respire por todo o caminho até sua barriga.

Apenas sinta a energia. Sua energia, antes de expandir e sentir a energia do grupo e de Kuthumi chegando, pronto para vir; apenas respire com isso.

(pausa)

KUTHUMI: Namaste. Namaste. (Kuthumi ri)

JOEP: Namaste, Kuthumi.

KUTHUMI: Sim, Eu Sou Kuthumi. Sim, eu sou iluminado e, sim, Eu Sou o que Eu Sou bem aqui, justo agora, em muito amor por mim mesmo e isso é tão bom quanto parece.

Então, cá estamos neste fabuloso novo espaço – meu belo Alma Café. Entre! Entre se já tiver seu assento. Se você está rondando, hesitante, do lado de fora, imaginando como será dar um passo e atravessar a porta, entre! Não se assuste. Há lugar para todo mundo.

Entre. Entre. Sente-se. Fique confortável Não importa se está um pouco cheio no momento. Há sempre um espaço para você que será perfeito, este espaço tranquilo, onde você pode olhar para fora e ver o mundo, onde pode tomar a mais deliciosa bebida, gelada ou quente. A mais bela comida. Doce ou salgada.

Tudo aqui foi projetado para deliciar você, para que se sinta bem-vindo e se lembre de que você é Deus também.

Como você, provavelmente, já notou, o serviço é imaculado (Kuthumi ri). A comida é exemplar, o ‘décor’, excelente e o ambiente, simplesmente correto. Como seria de outro jeito senão do que você verdadeiramente deseja, do qual é digno e que você realmente, verdadeiramente escolheu por experiência de seu coração e sua alma.

Este pequeno paraíso para lembrá-lo o grande criador que é e que modo maravilhoso de fazer isso, com muita alegria e bolo (Kuthumi ri).

É uma coisa maravilhosa quando criamos um novo espaço, um novo começo. Quando desligamos e ligamos de novo para atualizar nosso espaço. Que bela maneira de reconectar.

Nós sempre estamos conectados, mesmo quando parece que não. Mas algumas vezes é agradável realmente desconectar, pois assim podemos reconectar. Ter este tempo fora, seja para um passeio na floresta, sentar numa praia ou apenas recostar e tirar uma soneca. Comprar uma novidade para comer, ler um novo livro, comprar algumas roupas novas, arrumar o armário. Há tantas maneiras na vida de limpar alguma energia, de abrir lugar para o novo.



Quando começamos a fazer isso dos nossos modos pequenos humanos, convidamos os grandes e belos modos da alma.

Quando eu digo que vou parar e dar um tempo para nutrir meu corpo, também estou dizendo a cada parte de mim que eu sou digno do amor e carinho que esta experiência pode me oferecer. Sou digno do amor e carinho que minha compaixão, meu amor-próprio pode me oferecer.

Tome uma respiração profunda. Dê um gole no seu chocolate quente, uma mordida no seu bolo. Hum. Uma pequena e agradável validação de sua alma.

(pausa)

Sua alma nunca vai embora, mesmo quando você tem estes momentos que pode chamar de desconectar e reconectar. O que você está realmente dizendo é: “Venha mais perto de mim. Fique mais comigo Eu Sou o que Eu Sou, mas não sou nada sem você”.

(pausa)

Minha bela alma, aqui, me apoia. Esta parte de Deus que veio explorar tudo o que eu posso ser. Assim, agora, nesta bela Nova Energia, nessa nova consciência, nesta vida de realização, eu posso andar com você de mãos dadas. De mãos dadas para experimentar tudo o que esta bela experiência humana tem a oferecer.

A simplicidade de nossa alma nos oferece o maior dos presentes. Oferece-nos liberdade. Liberdade da programação do passado. Liberdade da programação do futuro. Liberdade de todas as crenças que foram derramadas sobre nós.

(pausa)

Liberdade do que nossa mente espera de nós (pausa).

Liberdade.

Liberdade é o espaço para criar. Liberdade é o espaço para permitir. Liberdade é retornar à simplicidade e à pureza de nossa conexão de alma.

Tome uma respiração profunda com isso.

Sirva-se de outra fatia de bolo (Kuthumi ri). Ponha um pouco mais de açúcar no seu café ou chá, se você achar que precisa.

Kuthumi e eu e Joep estamos andando em volta. Estamos limpando as mesas e priorizando tudo o que precisa. Se você sentir que está pronto para a próxima fatia de bolo, está puramente correto, também. Não há calorias no Alma Café (Kuthumi ri).

Tome uma respiração neste belo espaço para abraçar o quão magnificente você é em tudo o que faz.



Eu não me importo se você está desempregado. Eu não me importo se está empregado e ganhando muito dinheiro. Não me importo se está fazendo um programa de rádio ou não (Kuthumi ri). Eu não me importo com o quando você pesa ou qual é sua aparência. Não me importo com quais foram seus sonhos na noite passada. Tudo o que me importa é que você tem uma alma vivendo uma experiência e o quanto maravilhoso e surpreendente isso é.

Então, enquanto nos sentamos aqui no café, quero que você olhe para fora e imagine-se a si mesmo caminhando no passado.

(pausa)

Imagine-se caminhando no passado e eu quero que você se veja de pé lá e apenas ouça o que sua voz teve a lhe dizer na primeira vez que você se viu a si mesmo.

(pausa)

O que ela está He dizendo sobre a pessoa de pé lá?

(pausa)

Eu posso ouvir que tem alguns aqui que estão aguardando para gritar com ela, para soltar suas coisas (Kuthumi ri). Mas isto está certo. Está certo. Ouça o que é que você gostaria de compartilhar com eles (pause).

Apenas ouça esta voz. A história está repleta de amor? Ela está julgando? (pausa).

É agradável voltar aos nossos eus de vez em quando e então ouvir a história que estão nos contando, e estar cientes de onde indo está vindo. É ainda a voz de seus pais lhes dizendo o que fazer?

(pausa)

Está realmente oferecendo este belo amor e compaixão e maravilha da experiência que está criando?

(pausa)

Apenas tome uma respiração profunda e esteja ciente da pessoa de pé lá fora na calçada, olhando em volta, imaginando se deve entrar no café também. Que história vocês têm sobre estas pessoas?

(pausa)

Que história desejaria que elas tivessem? Talvez elas desejem a mesma.



(pausa)

Mas, lembre-se, quando sua alma observa você a andar por aí, sua alma não tem história para contar. Sua alma vai apenas olhar e suspirar… e estará celebrando tudo o que você estiver fazendo. Que liberdade maravilhosa esta de não impor nenhuma história, nenhuma expectativa ou julgamento. Só estes respeito e admiração e compaixão absoluta por quem você é, aqui e agora.

Agora, quero que você imagine que sua alma está de pé lá fora. Você não gostaria de lhe pagar um café com bolo? Então, que tal nós convidarmos nossas almas para vir bem aqui, porque eu sei que para muitos de vocês está bem frio do lado de fora. Assim, vocês provavelmente as estão deixando de pé lá fora sobre três pés de neve. Ou, se estão em algum lugar semelhante à Austrália, onde Marisa está, está bastante quente. Você gostaria de convidá-las para o ar-condicionado para, talvez, beber um café gelado.

Então, vamos convidá-las a entrar. Convide-as. Sim, está um pouco cheio demais, mas sabe do que mais? De repente há um assento extra bem ao seu lado, onde sua alma pode vir e se sentar e se reunir a você. E não se preocupe. Nós já sabemos o que sua alma quer beber e comer, e o pedido já está a caminho. Esta é a coisa maravilhosa sobre as almas. Elas sempre sabem, imediatamente (Kuthumi ri).

Grandes respirações profundas neste maravilhoso espaço.

(pause)

Quando retornamos a esta bela simplicidade, esta bela simplicidade de sua conexão de alma… esta bela simplicidade de recordar que nós somos uma centelha de Tudo O Que É, que estamos aqui para brincar com a experiência. Tudo o que jamais fez foi perfeito e surpreendente. Tudo o que fará é perfeito e surpreendente. Tudo o que está fazendo é perfeito e surpreendente.

Tudo o mais é distração. E encaremos isso, é muito fácil criar distrações. É bastante poderoso criar distrações. E nós meio que fomos nisso um pouco, na história com as distrações, não é mesmo? Distrações são erradas. Distrações são ruins. Distrações foram causadas por nossos aspectos. Distrações estão aqui apenas para sugar a alegria. E, você sabe, na maioria das vezes isto está bastante correto. Nós precisamos criar distrações para nos tirar fora de nossa alegria, esquecer que somos esta bela alma guiada pelo ser Deus, daí podemos mergulhar fundo na experiência de sermos pequenos e sermos humanos.

Que maravilhosa criação foi esta? Eu penso que todos podemos parar e de fato, realmente, congratular a nós mesmos pelo maravilhoso trabalho que fizemos, que criamos nesta dimensão para ajudar a nos distrair, para nos ajudar a esquecer de que nós somos Deus também.

Quando você para e olha para isso, o trabalho maravilhoso que fizemos. Pensar que fomos governantes poderosos, fomos vítimas das circunstâncias, que merecíamos estar nas ruas pedindo comida, que merecíamos ser mortos por falar nossas crenças. (Kuthumi ri).



Que criadores fabulosos nós somos. Stephen Spielberg não é nada em relação a nós. Nem qualquer cineasta ou escritor, nem mesmo minhas estórias.

Vamos nos dar um momento para celebrar o quão bem sucedidos somos em criar distrações.

Toda distração que você tem na sua vida agora é criação sua para servi-lo. E quando temos o domínio sobre cada uma dessas pequenas peças, elas não têm mais poder sobre nós.

O que está distraindo você, agora, de amar a si mesmo e de verdadeira dar a si mesmo a liberdade de criar a vida que você escolhe? Que crenças você está mantendo? Que histórias ainda estão aí? Elas ainda estão servindo você. Elas estão. Elas ainda estão servindo você.

(pausa)

Vamos respirar com elas (as distrações) e agradecê-las. Agradeça a si mesmo por ser tão esperto para criá-las. E alguns de vocês são incrivelmente criativos. Para outros, elas já não são tão grandes como costumavam ser, mas ainda estão aí.

E a coisa maravilhosa é que quando somos bastante espertos ao criar distrações, elas se tornam bem reais. Tornam-se tão reais que sentimos que são parte de nossa experiência e não podem ser mudadas, sejam em relação a situações de família, trabalho ou financeira. Mas esta aparente criatividade, esta manifestação em 3D é simplesmente um reflexo das estórias que estamos contando a nós mesmos.

E agora eu estou ouvindo você dizer “Então, você agora me diz que o que a minha mente está dizendo para mim de alguma forma, está percorrendo seu caminho numa expressão externa?”. Sim, porque quando você aquieta sua mente e aquieta as histórias e oferece a si mesmo um amor próprio ilimitado, incondicional, o lado de fora se torna um reflexo disso.

Eu Sou o que Eu Sou em muito amor por mim mesmo. Eu Sou o que Eu sou, portanto, digno de alegria e amor.

E eu sei que posso ouvir você a dizer as palavras e parte de você está dizendo: “mas eu preciso mudar isso antes que as coisas possam de fato ocorrer”. Apenas ouça o que vocês dizem a si mesmos. Ouçam.

Realmente tome um tempo para ouvir as vozes que se aproximam, que querem convencer você de que você é algo inferior a aluem que merece ser amado e que merece alegria em sua vida.

Apenas escute e ouça de onde elas vêm.

(pausa)

Uma respiração profunda, outro gole de café, outro pedaço de bolo.

(pausa).

Respiração profunda.

(pausa)

E agora eu gostaria de ir para a próxima camada das distrações, que é a de expectativas.

Uma coisa é ser distraído pelo que está acontecendo em sua vida, mas outra é adiar a mudança por causa das expectativas. O quanto você tem expectativas de alegria e maravilha em sua vida? Está você pondo condições em relação a quanto dinheiro isso lhe trará? Que aparência terá? Qual será a aparência de seu próprio amante? Irá você viajar? Este eu não vai mais funcionar.

(pausa)

Vamos respirar e deixar isso ir (pausa).

Retornemos a este aqui e agora. O amor perfeito é aquele que você pode ter por si mesmo neste momento, independentemente de qualquer situação.

É uma liberdade maravilhosa liberar-se das expectativas, porque expectativas são, de fato, apenas limitações de seus potenciais. Quando você simplesmente fica neste momento do agora para estar no seu amor próprio, para dar as mãos à sua alma e confiar na sabedoria infinita e no amor e na compaixão, você torna seu futuro livre.

Eu rio um pouquinho. Detesto falar sobre tempo linear, mas vocês estão na dimensão humana. Eu preciso falar em tempo linear. Veja o meu caso; eu posso estar aqui em meu Terceiro Círculo e eu olho sobre você e eu vejo seu passado, presente e futuro e eles não estão numa linha. Estão acontecendo todos ao mesmo tempo.

Torna-se um pouco maluquice pensar que o que você faz hoje irá realmente influenciar o que está para acontecer no futuro. E de fato o faz, porque você está no tempo linear. Mas não acontece do modo que sua mente imagina.

Sim, no momento em que sua mente quer projetar o que está para acontecer, no momento em que dá forma a isso com expectativas e limites e regulações e regras, constringe o que pode ser permitido vir. Mas, ao mesmo tempo, isto não significa que seu futuro, pelo que você é no momento, já esteja mapeado.

Toda vez que você toma uma respiração profunda para retornar à sua conexão de alma, você molda potenciais e possibilidades que penetram em ondas através de seu passado, presente e futuro. Esta é a coisa maravilhosa de respirar com sua alma.

Sim, é um jeito maravilhoso de por energia em movimento. É um jeito maravilhoso de se conectar com sua sabedoria infinita.

(pausa)
Mas, quando você permite à alma a liberdade de fazer o que ela precisa fazer, então isto se enreda com sua energia de modos que você nunca pode imaginar. Desbloqueia potenciais que você nem mesmo sabia que existiam.

Respire com isso.

Eu penso que é tempo de outro pedaço de bolo. O violonista está aqui para tocar alguma música agora, assim que podemos ter nosso pequeno interlúdio musical (Kuthumi ri). Ainda não estou bem certo se já temos algumas perguntas, Joep. Se você estiver ao telefone, eu acho que é necessário apenas apertar o “1” para ter acesso a ele. Mas nós já temos perguntas, ou eu posso continuar?

JOEP: Eu vejo que não há perguntas. Assim, apenas continue.

KUTHUMI: (rindo) Bem, continuemos. Continuemos e falemos sobre minha outra coisa favorita, com a qual tenho brincado com Marisa, no momento e que é falar sobre nossa energia do coração.

Agora, você sabe, nós fizemos um pouco de trabalho aqui. Dissemos para apenas respirar e estaremos conectados à nossa conexão de alma. Nós fizemos isso de forma bastante agradável. O Alma Café é um espaço maravilhoso para fazer isso, para lembrar seus eus disso.

Agora podemos ir para o tempo de festa, porque os músicos começaram a tocar no palco. Então, se quiser se levantar e dançar um pouco, é bem-vindo a fazê-lo. A música é bem suave, mas você pode apenas ficar de pé e se balançar. Não temos nenhuma regra sobre como você dança no Café da Alma. Sem regras no Café da Alma, exceto a de do respeito uns com os outros e do respeito a si mesmo. Acredito que esta seja o único tipo de imite que precisamos ter.

JOEP: Okay. Sim, nós temos uma chamada com uma pergunta. Bem-vindo. Qual é seu nome?

CHAMADA 0240: Eu quis aproveitar a chance. Se não há ninguém perguntando, então eu quero fazer isso (ele ri). Eu gostaria de saber como lidar com os desejos, aspirações, ânsias que vêm a mim, porque a mente humana quer colocá-los em alguma ordem para que estejam aqui, para recebê-los. Qual a melhor maneira de eu lidar com isso?

KUTHUMI: Haah! Que pergunta fabulosa. Muito obrigada por fazê-la.

Agora, a coisa maravilhosa, primeiramente, é que quando um desejo, esta ânsia vem, respire com isso. Sinta de onde está vindo. O tempo todo isto é real – pode ser um desejo da alma, porque ela quer guiar você numa aventura fabulosa (Kuthumi ri). Algumas vezes, pode ser um aspecto que pede por um pouco de resolução nesta vida, do tipo “Não cheguei a fazer isso nesta vida. Você pode fazer por mim, daí eu posso realmente concluir isso?” (Kuthumi ri).

Não há razão errada por um desejo ou anseio vir. Algumas vezes, pode ser simplesmente sua mente querendo alguma estimulação intelectual. Às vezes, isso pode ter se desencadeado porque vê outras pessoas a fazê-lo, e isso o inspira a também querer ser parte disso. Mas a coisa maravilhosa é que quando você para e respira com isso, algumas vezes é o suficiente para satisfazer o anseio e o desejo. Apenas ter esta bela conexão, este saber-se consciente da conexão à ânsia e ao desejou, que você está disposto a parar e ouvir, o que muitas vezes pode ser suficiente para satisfazê-lo ou resolver isso.

É quando nós os ignoramos, quando os reprimimos, quando os colocamos de lado e dizemos: “Não, eu não posso – nós não podemos – não podemos tomar parte nisso. Eu não posso fazer isso. Eu não tenho dinheiro. Eu não tenho tempo”. É quando nós empurramos e comprimimos as energias e é quando realmente cortamos os potenciais.

Mas quando paramos e respiramos com esta ânsia e este desejo, não importa o que sejam, nós realmente estamos dizendo “Sabe do que mais, obrigado. Esta é uma parte minha que está vindo e estou disposto e tenho o amor e a compaixão para dar a você minha percepção, meu tempo e meu amor para dizer que você é uma parte digna de minha experiência, porque você surgiu aqui”.

Agora, a coisa maravilhosa sobre isso é quando apenas paramos e, se isso estiver fantasiando, respire com isso. Seja indulgente desta forma, dessa forma, realmente você começa a mover energia em torno disso. Então, o que pode acontecer é que, por algumas poucas noites, você respira e devaneia com o que for que isso seja. De repente, isso vai embora. E eu sei, bem, se você teve isso Eu tive esse muito profundo desejo de viajar para determinado lugar ou tive esse desejo de fazer esta coisa ou ir para essa aula, eu tipo brinquei um pouco com isso por um tempinho e então isso se foi. Assim, eu não entendo porque se foi. Porque você esteve disposto em dar um tempo a isso. Isto por si mesmo e pode ser o suficiente para resolver esta energia.

Mas a coisa maravilhosa é que se isto persistir se isso persistir, comece a brincar com isso. Eu tenho um dos meus velhos ditados que é o seguinte: quando você brinca com ideias, todas estas ânsias e desejos, você move energia. Quando você move energia você abre potenciais. Potenciais criam oportunidades e oportunidades conduzem à aventura que é esta vida.

Então, se há este desejo, apenas deixe. Por exemplo, viajar para determinado lugar. Comece a buscar informação sobre o lugar. Comece a ler sobre isso. Comece talvez a tentar, mesmo na área em que você mora, encontrar algum tipo da comida que se come nesse lugar para onde deseja viajar.

Comece a brincar com esta energia de alguma forma.

Então, o que isso faz é que não significa, necessariamente, que, bem, seja isso; que daí eu vá reservar meu voo e vou para lá e blá, blá, blá. Mas quando você está brincando com esta energia, você não sabe o que mais irá se revelar. Você não sabe quais potenciais serão abertos para você e a que oportunidades irão conduzir.

Então, sempre que houver este desejo, esta ânsia, brinque com isso. E você não brinca com isso a dizer “Bem, vou brincar com isso porque eu quero criar determinado desfecho”. É mais um “Estou brincando com isso porque há algo vindo. Darei a isso um pouco de tempo e energia. Eu vou deixar os potenciais que estão com isso se revelar, mesmo que possa ser algo completamente diferente”.

CHAMADA 0240: Sim.

KUTHUMI: Certo?

CHAMADA 0240: Hã-hã. Sim. Isto foi útil (ele ri),

KUTHUMI: Obrigado.

Você sabe, este é o ponto onde a mente sempre quer o desfecho. A mente sempre quer dizer, bem, isto está vindo e sua mente adora uma estória de, bem, a destinação está chegando.  Deve haver algo aqui em que eu preciso fazer alguma coisa. Hum, nem sempre.

Algumas vezes é apenas vou brincar com essa energia que chegou, porque é algo para entreter minha mente, mas está vindo de um lugar de minha alma. Está vindo de um lugar de conexão profunda e você apenas está brincando pela alegria de brincar, sem nem por limites nisso, porque você senão criará expectativas. Assim que você fizer isso (criar expectativas) e a definir os limites, todos os potenciais começam a fechar as portas.

Então, divirta-se com isso e obrigado. Que pergunta fabulosa.

Você sabe, é tão fácil para a mente querer tornar isso linear. Brinque com algo pela alegria de brincar. Sem expectativas quanto a um desfecho, sempre. Sempre. Sempre. Obrigado. Muito obrigado.

JOEP: Temos outra chamada com pergunta. Chamada 6114. Você está no ar.

SANDRA: Oi; Meu nome é Sandra. Muito obrigada por atender minha chamada. Kuthumi, é uma imensa alegria falar com você. Amo suas palavras. Amo sua energia. Amo o quão alegre você é. Isto me alimenta. E amo toda a informação que você compartilha amorosamente. Você é simplesmente muito bonito.

KUTHUMI: Obrigado. Sinto o mesmo em relação a você. Eu também amo, e seria maravilhoso se todos pudéssemos falar conosco mesmos NESTE jeito que você fala comigo (Kuthumi ri).

SANDRA: Sim. Sim. Sim. Sim.

KUTHUMI: Obrigado, minha cara.

SANDRA: Minha pergunta para você é que tem vezes em que estou completamente conectada com minha
Quero estar com a minha alma e nada me aborrece. Nada me agita ou me move. Não há... Eu já estive lá. É um lugar bonito. E às vezes eu não estou lá.

E você sabe, eu fico triste e eu... Eu sinto… Eu não me sinto do mesmo jeito. No entanto, está aqui – como quando você falou sobre as distrações. Então, isso é uma distração. É parte do processo de integração? O que está acontecendo? Este tipo de sentimento me tem acompanhado pela maioria da minha vida e, de vez e quando, eu não quero estar aqui. Eu não em volta e eu imagino prá quê eu vim para cá? Agora eu não faço a menor ideia de que porque eu vim. Estou apenas degustando. Mas, quando eu vou e volto, vou e volto, é um zigue-zague que... Uau! É duro.

E existe algo, você sabe, eu estou apenas permitindo. Mina mente não compreende. Está bem. Apenas é. Mas apenas há esses momentos de completo êxtase e então há os momentos de profunda tristeza. Então, você pode me ajudar a compreender isso? E há algo que eu possa fazer?

KUTHUMI: Sim, absolutamente há e a coisa é basicamente continuar fazendo o que estiver fazendo, porque você ainda está aqui. Então, este é sempre um bom sinal de que você está fazendo a coisa certa.

SANDRA: (rindo) Sim! Eu ainda estou aqui.

KUTHUMI: Certo. Esta é a primeira coisa. Nós celebramos isso. Ainda estou aqui, então estou fazendo algo certo. Veja, muitas vezes, quando escolhemos uma vida iluminada, pensamos: “Eu ainda estou aqui. Devo estar fazendo algo errado”.

Agora, há muito poucas camadas para isto. Então, tenha paciência comigo, nós vamos atravessá-las e espero lembrar-me de todos eles como minhas canalizações por Marisa.

Agora, a primeira coisa também é que nesses incríveis momentos, quando realmente perdemos esta bem-aventurança, é também... É como ter a alegria de encontrar isso de novo. Então é um pouco de um padrão vicioso. Oh! Estou de volta a este vazio... De novo, mas eu vou voltar para a bem-aventurança. É como os altos e baixos de um viciado. Está bem, porque eu sei que eu terei isto consertado em breve (Kuthumi ri).

Então é um pouco como criar um estar fora de direção para continuar indo.

Eu vou resolver isso. Eu vou descobrir o que isso é. Então isso é tipo um pequeno jogo que você está jogando com si mesmo. É como dizer “Oh, eu caí de novo porque vou ter a alegria de me levantar mais uma vez”. Tudo certo.

SANDRA: Certo.

KUTHUMI: Então, eu apenas quero que você fique ciente disso. Se eu cair de novo, será apenas por que eu quero alegria de me levantar mais uma vez? Então, algumas vezes faremos isso conosco mesmos. Nós diremos “eu conheço meu estado de bem-aventurança. Eu sei que ele é muito fantástico. Talvez, se eu sair disso por um tempo talvez tenha a diversão de retornar a isto que é tão bom", porque uma pequena parte de nossas mentes se condicionou neste reino humano de que eu não posso estar bem o tempo todo, porque senão não conhecerei as profundezas da experiência.

Há palavras em sua vida. Todas elas balançam e giram. Você sabe, a vida é uma montanha russa. É um carrossel. Estamos condicionados a acreditar que realmente precisamos de tempos de estar por baixo. E nós criamos estes tempos de ficar por baixo, porque queremos ir às profundezas da experiência. Se viéssemos para cá e apenas tivéssemos vidas abençoadas o tempo todo, você sabe, nós não teríamos a diversão de saber como é ser um déspota ou uma vítima.

SANDRA: Certo. Certo.

KUTHUMI: Eles são todos parte da experiência de reunião.

Agora, esta espécie de luto que você tem agora, no entanto, está aqui para muitos de vocês um monte de vocês também tem este padrão. Isso está certo. Eu sei que eu sou iluminado. Eu sei que estou vivendo minha ascensão. Por que ainda estou apreciando tanto este tipo de coisa? (Kuthumi ri) Por que não é sempre apenas uma grande, você sabe, uma grande festa de unicórnios no arco-íris? Certo. E parte disto está vindo de vidas passadas, quando você atingiu a iluminação e se sentou na sua caverna agradável e tranquila. Vocês não tiveram que lidar com suas famílias, porque se desconectaram delas, Vocês não tiveram que lidar com os rigores modernos da vida no trabalho, que são muito horríveis para a maioria de vocês.

SANDRA: Sim. Sim.

KUTHUMI: E estas encarnações em que você se sentou nas Escolas de Mistério e então, bang! Você teve a revelação e deixou seu corpo.

Então, você teve a revelação. Ou você atingiu a iluminação, mas você permaneceu no topo da montanha e então se tornou um guru e as pessoas apenas vinham até você para dizer “Oh uau! Você é maravilhoso. Eu posso ser maravilhoso também”? (ambos riem). Isto tudo é meio que como nossa conversa começou. Certo.

Daí todo este luto de por que estou aqui fazendo isso agora? Eu não fiz isso de um jeito muito fácil, antes. Eu apenas quero estar na minha montanha, próxima da minha queda d’água. Certo. Então, você veio para esta aceitação de “estou fazendo isso agora na Nova Energia, onde faço isso como um humano incorporado e tenho que interagir com a vida como ela é”.

SANDRA: Sim.

KUTHUMI: Eu não vou me enclausurar. Eu não posso me esconder. Você ainda pode ir e se esconder que quiser, algumas vezes, mas, em última análise não será satisfatório para você, também.

Vamos tomar uma respiração profunda com isso. Vamos tomar uma respiração profunda por todas estas vidas em que fomos os gurus. Quando despendemos o tempo nas Escolas de Mistérios e tudo era místico e fantástico e maravilhoso e, apenas, vamos apenas circulávamos junto a pessoas que também eram místicas e fantásticas e maravilhosas. Nós não precisamos esperar uma vez a cada mês por um webcast ou programa (Kuthumi ri).

Porque estes são tempos incríveis. E foram plantadas as sementes e preparadas as energias para esta vida, agora.

Então, eu realmente quero que você esteja apenas ciente dessas camadas de que quando você vai para a brabeira é porque um monte dessa virada e do por que você está fazendo isso, agora, são apenas aqueles aspectos do passado chegando para dizer: “Nós sabemos. Fizemos isso muito melhor, antes”. Bem, sabe do que mais? É quando você se vira prá eles e diz “Sim, vocês o fizeram. Fizeram isso de um jeito fantástico. Fizeram-no perfeitamente. Mas, sabe do que mais? Eu estou fazendo isso agora. Estou fazendo isso e continuo conectado à vida. Eu vou continuar conectado a tudo que esta experiência tem a oferecer e eu posso fazer isso com a minha consciência. Eu não tenho que esconder. Não preciso ficar apavorada por alguém conhecer a verdade de quem eu sou. E certamente, pro inferno com essa história de ser um guru para as pessoas que chegam e tentar se alimentar de mim, porque eles querem minha sabedoria. Minha sabedoria é para mim. Eu despendi todas estas vidas abrindo isso”.

Então, este é o outro pedaço da estória. Mas eu quero lhe dizer agora, não bata em si mesmo quando você for para a brabeira, tampouco, quando você for para estes pontos baixos, porque isso também é parte do jogo das energias desta dimensão. É meio como se, oh, você pensou que havia escapado de toda esta porcaria. Mas sabe do que mais? Eu ainda pego você.

É essa a sensação que eu nunca estou saindo disso, realmente. Isso é o que faz você questionar sua criatividade e que é que você parar de amar a si mesmo e ter compaixão por si mesmo. Isso é o que essa energia é projetada para fazer.

Então, isto está certo. Está certo estar neste tempo para baixo, mas não bata, não bata em si mesmo. Apenas vá para o “Certo. Cá estou um pouquinho neste tempo prá baixo”.

SANDRA: Hã, hã. Sim.

KUTHUMI: Tudo bem. Eu compreendo que isso faça parte do jogo de estar aqui na 3D. E sabe do que mais? Eu fiz minha respiração e tive minha lembrança e a consciência de saber que isso é apenas um tempo prá baixo.

E isso irá equilibrar as energias de um jeito muito mais rápido. E é quando você diz “Certo, eu simplesmente amplifiquei o que precisava para fazer amor comigo mesmo”. Venha ao Alma Café. Sirva-se de um café e de uma fatia de bolo. Vá para um café real, de fato.

SANDRA: Certo, certo.

KUTHUMI: Tome uma fatia de bolo e uma xícara de café. Sim, faça algum tempo tranquilo extra.

SANDRA: Sim. Eu faço. As energias estão tão fortes que eu me perguntei se era eu a criá-las ou se isso é energia que eu sinto. Porque, às vezes, eu quero dizer, eu só, o que eu sinto é simplesmente extraordinário. Bem assim.

KUTHUMI: Eu diria a você - é uma espécie de piada, mas é muito real também - que a boa notícia é que você está se iluminando e, assim, se torna mais sensível. A má notícia sobre ser iluminado, é que você se torna mais sensível.

SANDRA: Sim.

KUTHUMI: Vocês são pessoas muito sensíveis, assim que estão pegando ondas de energia de fora de vocês, que não são completamente suas, de qualquer maneira. Então, uma coisa boa é, quando você só tem essa consciência, ao invés de bater em si mesma, você diz: “eu deixo meu eu ir para baixo de novo”, se isso significar que você iria assumir energias que não são suas.

SANDRA: Certo. Certo. Hã-hã.

KUTHUMI: Agora, a outra coisa que eu quero que você saiba é que, onde um monte de gente permite que a distração e a energia sejam ainda mais fortes do que são é devido a que elas são realmente fortes, o tempo todo. Mas, devido à sua sensibilidade, na verdade você já não possui isso tanto quanto antes. E se de fato você para e reflete... Pessoas que sofrem de depressão ou coisas assim, quando vão para sua consciência... A cada vez que você vai neste pequeno tempo prá baixo, você realmente sai disso rápido e você, de fato, não está indo nisso e você pensa que isso a faz se sentir mal e tudo se parece da mesma forma, por causa da sua sensibilidade e porque nós gostamos de nos morder. Mas, verdadeiramente, a cada vez em que estiver indo nisso, não é a mesma coisa. Não é tão profundo e não ocorre no sábio tempo linear, como antes.

Assim, apenas meio que esteja ciente disso. Tipo como sim, eu estou aqui, mas sabe do que mais? É certo como o inferno não é mais tão ruim como era há seis meses ou há dois anos ou dez anos atrás.

SANDRA: Oh minha deusa! Não... Nada como... Nada.

KUTHUMI: Certo. Obrigado. Mas ainda afeta você com a mesma intensidade, porque é a distração e porque é que a energia de "oh eu devo estar fazendo algo errado.” Uh huh.

SANDRA: Certo. Certo.

KUTHUMI: Então, quando nós vamos para este período de “Tudo certo. Cá estou eu, novamente. Mas, sabe do que mais? Eu vou ter a alegria de retornar à minha conexão de alma. Eu fiz minha respiração e esta energia realmente não é minha, porque não é o que estou escolhendo mais”. E isso retorna ao equilíbrio.

SANDRA: Certo.

KUTHUMI: E isso também irá abranger a mensagem aos aspectos que estão dizendo “Uau! Lembre-se do tempo em que fomos para a caverna”. Sim, obrigado. Eu gosto da caverna, também, mas quero fazer isso com café e bolo, desta vez (ambos riem).

SANDRA: Sim! Estou apreciando o bolo. É divertido.

KUTHUMI: É isso aí! Aprecie-se a si mesma. E há uma grande maneira de fazer isso deste modo. Tome uma pancada. Você sabe o que. Vamos lá – estou indo apenar para ir – hoje estou indo e vou mostrar a você o quanto eu posso apreciar isso (Kuthumi ri).

SANDRA: Certo. Certo.

KUTHUMI: Muito obrigado, Sandra. Pergunta fabulosa. Muito obrigada por telefonar.

JOEP: Obrigado, Sandra. Temos outra chamada e eu vou trazê-la.

JOEP: Temos uma pergunta na sala de bate-papo de Jule. Eu vou lê-la. E é uma pergunta sobre sua criança, sua filha… sua pergunta é sobre a distração dos filhos.

QUESTION: Especificamente, a minha menina parece estar em necessidade, neste momento. Uma enorme distração. Como posso lidar com isso?

KUTHUMI: Ohhh. A pergunta mais difícil de responder é a de uma mãe sobre como lidar com uma criança. E a primeira coisa que temos a dizer é para que chegue a esse lugar de aceitar, você sabe que é uma cocriação. Cocriações de situações são, provavelmente, das mais desafiadoras na Terra.

Cocriação de mãe e filho, ainda mais. Mas eu digo isso para torná-la difícil ou para fazer parecer que é impossível ou difícil superar.

É um momento de, primeiro, aceitar que ambos escolheram estar aqui juntos, para criar esta experiência em conjunto. Mas a grande palavra que eu vou dar a vocês hoje é limites. E isso vai ser difícil, mas, sim, a criação de limites para si mesmo ao dizer “De hoje em diante, este tempo é o tempo, a cada dia, do meu tempo particular, quando não quero ser interrompida”. Ao dizer isso, você mostra que está disposta a realmente tirar a criança de fora de seus próprios jogos, também. Acho que às vezes sentem que compaixão infinita também é ser infinito depósito de lixo, e não é o caso.

Você deve se lembrar também de que esta criança escolheu você para ser sua mãe, portanto, ela está realmente querendo que você crie limites para minimizar as distrações de sua própria experiência, porque ao fazê-lo, será um maior padrão e exemplo para eles. E, na verdade, se você sente que precisa configurar algumas fronteiras ou restringir a distração da criança, em seguida a criança estará realmente querendo a experiência também.

Faz parte também da maternidade que a palavra egoísta seja espalhada pelo ambiente. Mas isso é para dar o exemplo e mostrar a uma criança que é possível se levar uma vida onde está empenhada em você, em primeiro lugar, mas com consideração pelos outros; e que é também o que essa criança está querendo ver.

E, sim, isso vai ser difícil e vai haver resistência. Mas eu realmente sei que você é capaz de fazer isso com graça e de equilibrar esses momentos de desequilíbrio.

Com as crianças, quando elas passam por estes tempos, bem como por certas idades, elas estão, na verdade, com desejo por revelações. Estão implorando por insights e estão com a mesma ânsia de liberdade que a maioria dos adultos passou nos os últimos 10, 20 anos, para chegar a um entendimento. Então, um monte de vocês que está passando por esse despertar e essa consciência de que têm filhos, vocês meio que sentem pena destas crianças de certa forma, porque estão no ponto de se jogarem numa escada rolante que já está correndo a 20 quilômetros por hora, e eles têm que correr para manter-se. Mas, sabe do que mais? Estas almas que entram sabem exatamente o que estão pegando, e sabem que disso é o que se tratava quando vieram. E estão prontas e vão agir como não são e como se não quisessem entender. Mas eles vão entender e vão fazê-lo eventualmente.

Então, aqui está a coisa. Com o tempo, em mais dez anos, quando a criança estiver a ponto de fazer sua própria vida, será que terá valido a pena configurar seus próprios limites? E ter energia comprometida consigo mesma? Acho que você sabe que a resposta para isso é sim, porque isso também vai ajudar muito a prepará-las para uma vida de possuir a sua experiência e para se colocar em primeiro lugar, com consideração pelos outros.

Com nossa mestria, tenho notado no último ano que houve uma espécie de movimento que eu chamo de corte e queima de soberania, que é tipo como, "Eu serei um ser soberano a todo custo".

Sim, isso é bom. Essa é uma ótima maneira de escolher experiência. Não seria também maravilhoso escolher uma experiência como "Eu posso ser um grande e gracioso Mestre. Sou capaz de conversar com a minha família. Sou capaz de conversar com a experiência. E isso não será feito a expensas de qualquer outra pessoa”. Mesmo quando aparentam raiva, ou parecem colocar para fora, ou isso parece afetá-los, não será às suas expensas. Tudo pode ser feito com equilíbrio e facilidade e graça. Tudo - lidar com as crianças, deixar um trabalho. Tudo pode ser feito com facilidade e graça.

Que tipo de mestre você quer ser? O Mestre que se compromete continuamente? O Mestre que arrasa sua energia através de tudo? Ou o Mestre que está em sua graça e equilíbrio e faz escolhas com sua infinita sabedoria?

E não seria maravilhoso falar sobre isso com seus filhos para que eles possam entender onde você está vindo, mesmo quando jogam coisas na sua cara e agem como se não quisessem entender e saem como uma tempestade da sala. Da próxima vez que voltarem à sala, você pode ter a conversa de novo. (Kuthumi ri).

Lembrem-se, vocês se escolheram uns aos outros. Você também pode escolher como interage com o outro. Obrigado, minha querida. Obrigado.

JOEP: Obrigado, Kuthumi. Temos mais chamadas. Assim vou trazer a chamada número 3774. Você está no ar.

SUSAN: Bem, oi, Kuthumi, como vai você hoje?

KUTHUMI: Bem, oi!

SUSAN: (rindo) Eu…

JOEP: Com quem temos o prazer de falar?

SUSAN: Eu sou Susan.

KUTHUMI: Qual é sua pergunta?

SUSAN: Minha pergunta. Acho que eu acordei depois de um sonho sobre você ou com você nele ou algo assim, esta manhã. Acordei com essa grande ideia de um livro. Muito criativo e eu meio que comecei a minha manhã rindo pensando “Oh, eu poderia fazer isso com isso e mais isso! E, oh, este deve ser de Kuthumi. Estou tão animada”. E, oh, fui com o meu dia e saí com cachorro e, daí, topei com uma planta, enquanto caminhava com meu cachorro, bem na calçada. Meu joelho está doendo agora. Ele está um pouco inchado.

KUTHUMI: Ohhhh.

SUSAN: Então, enquanto estava lá caída, pensava “Hum, colisão e algo para preencher. Deve ser disso que se trata”. E desde então venho diminuindo a importância deste tipo de coisas. Eu deixei cair meu iogurte. Sem problemas. Quebrei meu colar. Sem problemas. Eu o consertei enquanto ouvia a resposta do telefonema anterior. O que está acontecendo aqui?

KUTHUMI: Você o consertou muito rápido!

Você sabe, essa é a coisa maravilhosa. Isto é, quando nós meio que entramos na mente criativa e a experiência criativa não chega a se reunir com a experiência humana. E quando entramos neste lugar de sermos tão criativos e abertos e abrimos as energias, perdemos um pouco o chão, o estarmos aterrados. E quando perdemos o chão é fácil, fisicamente, fizer coisas como cair, porque não estamos realmente, completamente, ligados ao nosso físico.

Você sabe, não há problema em fazer isso, mas eu realmente prefiro que você faça isso quando estiver sentado no interior. Não a calçada onde você pode quebrar um osso.

Quando queremos dar uma saída - Eu faço isso com Marisa. Ela fica no jardim, onde podemos conversar, mas o fato de ela se dedicar a jardinagem a mantém aterrada. O fato é que ela praticado por muitos anos esta espécie de brincadeira comigo, mas ainda assim mantém a sua ligação a terra. Ensinei-lhe muito mais sobre isso na Índia, para que eu pudesse falar com ela e mostrar-lhe as coisas sem que ela esbarra-se nas pessoas ou caísse de escadas.

Você sabe, é aquela coisa de ser... Especialmente quando você tem a primeira queda e isso sacode a sua energia, é quase como um pouco de um “Opa, vamos parar e checar o modo como estamos aterrados?”, especialmente se isso continua acontecendo. Agora, uma vez que começamos, sim, você solta o seu iogurte, você quebra um colar, essas são o tipo de coisas pequenas, mas ainda estão mostrando que “Ei, eu não estou muito aqui”. Portanto, esteja ciente disso.

E eu, igualmente - eu mostrei isso a Marisa também. Ela vai ver, por vezes, que, quando sua mente está um pouco fora, numa espécie de discurso retórico, pode cair alguma coisa no seu pé. Ela vai bater a cabeça. É como um “desculpe-me!”. É a forma do seu corpo de dizer: “Você sabe, me desculpe. Você pode apenas voltar? Posso ter um pouco mais de atenção, por favor?”. Tudo bem. Mas também é muito... É um pouco um alarme de alma dizendo: “Você sabe do que mais? Vamos apenas ter certeza de que está de castigo”. Sim. Isso é ótimo. Estou tão feliz que você tenha trazido esta energia do estado de sonho, e você o fez, e provavelmente é por isso que você ainda está um pouco... Você não está tão ligada a terra, porque ainda está na energia do estado de sonho.

E é uma coisa maravilhosa quando você acorda e sente profundamente esta energia do estado de sonho é necessário parar e respirar e se certificar (1) que você está de volta nesta dimensão, completamente, e (2) que você está realmente em seu corpo completamente.

Agora, o grande medo é de que tudo o que está acontecendo desligue as energias que eu trouxe de volta do tempo de sonho. Assim, esta parte ficará aterrada se em eu não aterrar, assim, vou manter essa energia fluindo. Bem, não você não vai, porque quando você volta a esta dimensão e você realmente tem esse tempo para respirar, você está realmente indo, realmente, integrar essa energia que você trouxe de volta com você.

Então, pouco deste lixo é que eu tenho medo, se eu estiver totalmente no meu corpo, vou perder essa energia criativa que eu trouxe comigo do reino de cristal, enquanto dormia. Mas eu sei que você tem um monte de confiança em si mesmo para realmente respirar e dizer: “Eu vou estar de volta aqui no meu corpo, especialmente quando eu ando numa calçada gelada com o meu cão”. Certo. Mas realmente confiar que a energia criativa que você abriu enquanto você dormia não vai desaparecer só porque você não quer deixar cair o seu iogurte (eles riem). Tudo bem.

SUSAN: Certo.

KUTHUMI: E ouça, como quando fazemos estas coisas e temos até mesmo um pequeno acidente de carro ou um susto de saúde, muitas dessas vezes são coisas para sacudir nossa energia e dizer: “Espere aí. Vamos parar e verificar onde estamos. Será que estamos de castigo? Será que decidimos ficar aqui? Eu já tenho algum fluxo de energia criativa e apenas preciso, realmente, estar aterrada, parar e respirar”?

Em muitas vezes para vocês, agora, vocês já não estão criando os acidentes de carro para trazê-los de volta ao seu corpo. Você não está criando os ataques cardíacos mais, pelo menos na maioria das vezes. Ok. Eu sei que todos estão realmente escolhendo estar aqui e ter essa experiência incrível, porque é. É fantástico. Por que você quer ir embora? Especialmente agora que você está fazendo isso com a sua consciência.

Então, esses momentos um pouco chocantes, ou quando temos estes dias desajeitados, eles são, na verdade, como pequenos despertadores para dizer: “Vamos apenas fazer o check-in”. Vamos verificar e nos certificar de que, sim, estamos plenamente aqui e também, também, se eu tenho esse fluxo criativo que está vindo através disso, por vezes, é necessário que eu realmente me sente e faça uma revisão Respire com isso. Tudo certo. Basta escrever. Na verdade, eu acho que você precisa mesmo começar com esses pequenos... Sei que você é boa em diários e blogs e coisas desse tipo. Ponha para fora, porque no momento isso só precisa sair (Kuthumi ri). Certo.

SUSAN: E na verdade foi o que eu fiz. Essa foi a primeira coisa que fiz quando me levantei esta manhã, escrevi isso. Eu queria ter certeza de que não iria esquecê-lo, porque é uma grande ideia.

KUTHUMI: Totalmente.

SUSAN: Então eu fiz o diário, fui ao quadro de mensagens e o pus lá. E também coloquei em notas, para mim mesma, no meu computador.

KUTHUMI: Sim.

SUSAN: Então, está anotado e toda esta coisa de respirar. Eu não fiz nenhuma respiração.

KUTHUMI: Faça a respiração, porque aterra as energias disso, mas também garante que você está realmente no seu corpo, assim você pode de fato interagir com sua experiência aqui, comer e caminhar com propriedade (Kuthumi ri). Certo.

JOEP: Obrigado, Susan. Kuthumi, temos cerca de 20 minutos restantes. Quer responder a outra chamada?

KUTHUMI: Queremos. Oh, vamos atender a mais uma chamada então completamos e receberão nossa atenção e então, terminamos.

JOEP: Certo, ótimo. Chamada 8581

MARIA: Alô. Aqui é Maria,

Eu tenho uma pergunta. Eu tive que enterrar Spicy Cat esta semana, e eu estava fazendo um bom trabalho. Tomei a decisão difícil. E estava indo bem até que me sentei aqui para ouvir vocês, e ela saltou e veio no meu colo como se ela normalmente fazia quando ouviu sua voz.

KUTHUMI: Bem, ela meio que ainda fez de qualquer maneira. Será que não?

MARIA: Sim. Com a DreamWalking eu entendo. Eu sei que ela não está em seu corpo e eu sei que ela está melhor agora e tudo bem. Mas, ela não está aqui comigo.

KUTHUMI: Eu sei. Eu sei. E sabe do quê mais? Não há problema em se lamentar. É normal se sentir triste quando se perde alguém que participou de grande parte da sua vida, fosse animal ou pessoa. É parte natural da nossa expressão humana querer lamentar alguém.

Estou feliz que você está se lembrando de que tudo aconteceu de forma perfeita e sua pequena alma sabe o que está acontecendo. Ela pode voltar para você novamente ou não. Você sabe, não tem problema se sentir triste. E é isso que eu estava a dizer a essa dama, antes, quando ela dizia que estava para baixo. Só porque você é iluminada e está desperta, não tem que ser feliz e bem-aventurada e positiva o tempo todo. Você sabe, não há problema em estar com raiva de coisas. Não há problema em estar triste, porque isso também move energia.

Mas, por favor, volte para a memória absoluta da maravilha de experiência e lhe agradeça ter feito parte de sua experiência, porque você teve uma conexão maravilhosa e ela era uma parte maravilhosa da sua energia, em casa. E realmente honre isso e está tudo bem. Mas não há problema em estar triste.

MARIA: Obrigada.

KUTHUMI: Tudo bem. E você não precisa de mim para dar-lhe permissão para isso. Você pode dar permissão a si mesma, o tempo todo, para o que você está sentindo.

E a coisa maravilhosa sobre a contradição do luto é que estamos aflitos porque nos lembramos de tanta alegria; e a lembrança da alegria nos deixa triste, porque queremos ainda ter essas experiências alegres com a gente.

Também podemos alterar um pouco a dinâmica do luto. Vamos mudar a dinâmica e estar um pouco mais numa celebração, para dizer: “Olhe para a alegria maravilhosa que eu criei nesta bela conexão com este animal”, e realmente convide isso para si.

Então, sim para lamentar, sim para o luto, mas sempre celebrando o que você criou, para convidar mais desta energia, de qualquer maneira que vá acontecer para você, agora.

MARIA: Isto faz sentido.

KUTHUMI: Sim.

JOEP: Obrigado, Maria.

Acredito que cobrimos todas as chamadas e perguntas para hoje.

KUTHUMI: Fantástico. Agora eu posso voltar o que pretendia falar. Acho que foi há 45 minutos (ambos riem).

Então, obrigada por estas maravilhosas perguntas.

Assim, tomemos uma respiração profunda.

Tivemos um pouco de festa. Tivemos um pouco de dança e vamos encerrar as coisas agora. Todo mundo está de volta à sua mesa. Mais uma rodada de café e bolo para todos.

Tome sua alma pela mão. Sua alma tem o suficiente para comer agora. Elas (as almas) parecem sobreviver com muito pouco, o que é maravilhoso.

E apenas respire com sua alma... E eu convido você a colocar sua mão sobre o seu coração. Nós tivemos uma experiência maravilhosa, hoje, não apenas em se conectar com a nossa alma, mas em abrir a nossa energia do coração.

Quando abrimos o nosso coração, nós dizemos: “Sim, estou disposto a receber. Sim, sou digno de receber”.

Por muito tempo nós nos condicionamos não apenas a esquecer de que somos Deus também, mas a fechar nossos corações, para protegê-los do sofrimento e da angústia da vida humana.

E nessa maravilhosa proteção ativa, nós também fechamos do lado de fora um monte de alegria e maravilha que a vida tem para nos oferecer. Sim, nós podemos abrir os nossos corações e nós podemos nos machucar ainda. Mas a coisa maravilhosa é que, quando fazemos isso sem medo, sem preocupação de que isso vai acontecer novamente, nós convidamos muito mais. Muito mais.

Uma respiração comigo agora neste belo espaço seguro, que vai continuar com você, porque, você sabe, que tem seu próprio Alma Café dentro de você de qualquer maneira. Você está seguro e protegido. Não há nada a temer. As pessoas podem tentar feri-lo, mas só irão machucá-lo se você permitir. Os perigos da vida ainda estão aí, mas não têm que ser parte de sua experiência.

Imagine se fosse tão simples quanto tudo que eu preciso fazer é abrir meu coração para receber, para vir a esse lugar de amor e compaixão, que convida todas as potencialidades desta experiência.

(pausa)

Obrigado a todos por se reunirem hoje no nosso primeiro Alma Café. Nós temos muito mais aventuras no caminho, a seguir. Agradeço-lhes por suas mensagens na sala de bate-papo. Agradeço por suas chamadas. Agradeço aos nos ouvem agora e aos que irão ouvir e ler mais tarde, nos arquivos.

Digam isso comigo. Baixem os garfos. Baixem as xícaras. Vamos ter um momento para tomar essa respiração profunda e declarar a cada parte de nós mesmos: Eu Sou o que Sou, bem aqui, junto agora, em muito amor por mim mesmo e isto é tão bom quanto parece.

Namastê. Namastê.

JOEP: Namastê, Kuthumi, e obrigado por sua bela partilha.

Vamos tomar uma respiração profunda. Respirar as palavras de Kuthumi, aqui. Respirar a energia neste espaço seguro que criamos juntos.

MARISA: Muito obrigada, Joep, por toda a sua ajuda. Obrigada a todos que se sintonizaram e telefonara, e fizeram perguntas via sala de bate-papo. Foi grande este nosso primeiro tempo para todos nós, aqui. Ahhh!

Então, isso vai ser arquivado com o mesmo link. Se você quiser ouvir de novo. Por favor, vá ao site newenergywriting.com. Se for em "Radio", irá encontrar o link para as transcrições anteriores e esta, de hoje, também será posta no mesmo link.

Além disso, para você que nos ouve, tenho uma oferta especial da versão de bolso em do meu livro “Você não tem problemas, você está apenas entediado”, o primeiro livro que eu escrevi com Kuthumi. Seu preço foi reduzido para apenas $15,00 incluindo o envio, para qualquer lugar do mundo. Então, algumas pessoas estão pegando algumas cópias. É, na verdade, um livro muito bem impresso. E é completo ainda nas cores e ilustrado com gravuras do Taj Mahal, que Kuthumi construiu numa de suas vidas. Então, por favor, faça seu pedido agora, se você ainda não o tem, ou se gostaria de um exemplar extra para enviar a um amigo.

No site, você também pode reservar sessões particulares comigo e encontrar os links para comprar meus livros. E à pessoa que perguntou, eu estou trabalhando no novo livro. Ele está chegando, lentamente, mas está acontecendo.

Se você quiser acompanhar as atualizações, tenho um boletim informativo para sair, que vai sair para anunciar novos shows e especiais e o que está acontecendo comigo e com meus livros. Basta ir ao site e se você rolar a página inicial ou em praticamente qualquer página, há um link na parte inferior, onde você pode se inscrever para o meu boletim ou você pode se deparar e como a minha página no Facebook, que é Marisa Calvi Autor, se quiser nos seguir no Facebook. Então venha e junte-se a mim, lá ou através da newsletter.

Muito obrigada por se reunir a mim, Obrigado, Joep e ciao para você também. Então, até logo para todo mundo e Namastê.